Onde estou? Onde quero ir? Como chegar?

 

 

 

 

 

Estas são provavelmente as perguntas mais importantes quando se pretende iniciar uma poupança para um determinado objetivo, projeto e/ou sonho.

De pouco serve traçar um objetivo de poupança sem avaliar, antecipadamente, a situação atual e sem uma estratégia bem definida. Sem esta análise, o mais provável é não entender se os rendimentos auferiados são suficientes para as despesas, tornando assim incosequente qualquer esforço de poupança.

 

Onde estou?

Numa fase inicial, é importante guardar todos os recibos de qualquer compra e anotar todos os valores. No final da semana deve somar e analisar o valor gasto e se todas as compras são essenciais.

Para aliviar a carteira deve verificar todos os gastos e focar-se nos pontos em que se consegue poupar mais facilmente.

 

Onde quero ir?

Algumas análises são fundamentais antes de iniciar uma poupança: o que se deseja para a vida financeira, quais os objetivos de curto e médio prazo e as necessidades presentes e futuras.

Um comportamento financeiro responsável exige que se seja capaz de distinguir necessidades de desejos e compreender a fronteira entre os dois:

  • Necessidade existe quando precisamos de um bem ou serviço essencial para o nosso dia a dia.
  • Desejo existe quando queremos um bem ou serviço que podemos dispensar, sendo necessário ou não.

 

Como chegar?

A chave consiste em planear um rumo, mediante o estabelecimento de objetivos de poupança realistas e alcançáveis e, de seguida, fazer um acompanhamento (medir sempre, onde estou, onde quero ir e onde quero chegar).

 

Estabelecer um orçamento familiar ou individual

Um orçamento é uma ferramenta que permite facilmente identificar os rendimentos, as despesas e controlar se a estratégia definida está a dar resultado.

Executar um orçamento e fazer o seu seguimento permite fazer contas para ter uma noção da realidade financeira, em cada momento. Por isso, este deve ser realista e considerar todos os rendimentos e gastos pelo valor mais próximo do valor real.

 

Partilhamos cinco passos úteis para a elaboração de um orçamento:

 

1. Reunir todos os elementos do agregado familiar (também se aplica a um agregado monoparental)

Facilita o cumprimento dos objetivos, a redução de custos e a definição do(s) objetivo(s) de poupança.

Dica: todos os documentos que possam ajudar à realização do orçamento devem ser guardados: faturas, recibos, extratos da conta bancária, entre outros.

 

2. Listar e identificar todos os rendimentos

O rendimento corresponde ao dinheiro que se recebe por algum motivo e pode ser fixo ou variável.

Dica: na elaboração do orçamento deve considerar-se o rendimento líquido!

 

3. Listar e identificar todas as despesas

A despesa corresponde à quantia de dinheiro que se gasta para a aquisição de bens e serviços, e podem ser: Fixas vs Variáveis.

 

4. Apurar o saldo e analisar o valor obtido

Saldo = rendimento líquido (receita) – o que se gasta (despesa)
 

Saldo Positivo Saldo Nulo Saldo Negativo
Rendimentos superiores às despesas, é possível realizar poupança. Rendimentos iguais às despesas. É conveniente reduzir despesas. Despesas maiores que as receitas, é necessário reavaliar as despesas.

 

5. Ajustar o orçamento de acordo com os objetivos

Definir o(s) objetivo(s) de poupança e os meios para o(s) alcançar com sucesso.

O ideal é conseguir “colocar de lado” pelo menos 10% do rendimento mensal do seu agregado familiar. O nosso conselho é "colocar de lado" os 10% para uma poupança logo no início de cada mês.

 

Risco e Incerteza

As situações inesperadas podem surgir e este é um fator a ter em conta. A primeira poupança deve ser destinada a amortecer o impacto de imprevistos que possam afetar o orçamento. Estes podem ser previsíveis ou imprevisíveis:

  • Situações previsíveis: devem ser planeadas e consideradas no plano financeiro da família. Ex: consulta médica
  • Situações imprevisíveis: não se conseguem prever porque são inesperadas e podem ocorrer por via do rendimento ou por via da despesa. Ex: divórcio, desemprego, doença, inundações, etc.


Amealhar é o primeiro passo para obter independência financeira!

Conheça ainda alguns conselhos sobre a importância da poupança para o futuro:

 

Poupar é saber gastar!

 

protegemos pessoas
 

Arquivado em:

poupança

Relacionado

Outubro é o Mês da Poupança

600X331 grao a grao

Relacionado

Grão a Grão

600x331 Poupanr e felicidade

Relacionado

Dinheiro e Felicidade | Mês da Poupança #1