• As receitas aumentaram 5,1% chegando aos 14,807 milhões de euros
  • Os prémios registaram o maior volume semestral dos últimos 5 anos, com um aumento de 7,7%
  • A MAPFRE posiciona-se agora como a maior seguradora da América Latina

Os prémios da MAPFRE aumentaram 7,3% na primeira metade de 2022, alcançando os 12,51 mil milhões de euros, destacando-se especialmente a evolução do negócio em Não Vida (com um crescimento de 8,1%), graças à melhoria do negócio de Automóveis e em Seguros Gerais. Trata-se do maior volume semestral em prémios dos últimos cinco anos, apesar do contexto económico do período em análise.

Principais dados resultados1s
Principais dados


A receita do Grupo nos primeiros seis meses do ano aumentou para 14.807 milhões de euros, o que representa um aumento de 5,1%, em relação ao mesmo período do ano anterior. O lucro líquido, por sua vez, fixou-se no primeiro semestre do exercício em 338 milhões de euros (-7,3%), como consequência do aumento do índice de sinistralidade derivado do atual cenário de alta inflação a nível mundial, assim como pelo aumento da mobilidade após a eliminação das restrições pela COVID-19.

Ibéria, que continua a ser a região que mais contribui para o lucro do Grupo, destaca-se pela boa evolução dos Seguros Gerais, o que permite compensar outros ramos, como Automóveis, que registam um maior impaco da inflação e da sinistralidade. A MAPFRE tornou-se a maior seguradora da América Latina, melhorando a sua rentabilidade. Por sua vez, a MAPFRE RE (negócio ressegurador e o de riscos globais), teve um notável crescimento em prémios de 13,9%, apesar do lucro estar condicionado pelos 51 milhões em sinistros produzidos pela seca da bacia do Paraná. Por último, a forte reestruturação do negócio empreendida nos últimos trimestres em Assistência permite a esta Unidade proporcionar, graças à venda de operações, 8 milhões de euros ao lucro do Grupo.

Destaca-se a redução da sinistralidade derivada da COVID-19, com um impacto acumulado em 2022 de 73 milhões de euros (dos quais só 27 milhões correspondem ao período abril-junho). Não obstante, a volta à normalidade após a eliminação das restrições de mobilidade traduziu-se num aumento da sinistralidade no ramo de Automóveis em praticamente todos os mercados.

O rácio combinado ao finalizar o mês de junho foi de 98,3%, com um aumento de 3,2 pontos percentuais, consequência do citado aumento da sinistralidade automóvel, em conjunto com a inflação a nível mundial, que afeta o preço do custo médio das prestações dos diferentes ramos de negócio.

O património atribuível do Grupo ao finalizar o primeiro trimestre de 2022 aumentou para 7.628 milhões e o total de ativos somaram 63.052 milhões de euros.

Os fundos próprios do Grupo sofreram uma redução, principalmente, pela diminuição do valor dos títulos de renda fixa devido ao aumento das taxas de juro. Contudo, a diversificação geográfica da MAPFRE permite reduzir esse impacto em 412 milhões de euros procedentes de diferenças de conversão. Por sua vez, os investimentos da MAPFRE alcançam 42.213 milhões de euros e metade deles corresponde a renda fixa soberana.

 

Plano Estratégico 2022-2024

Apesar do ambiente extraordinariamente complexo e cheio de incertezas, a MAPFRE ratifica a intenção de continuar a desenvolver e cumprir o vigente Plano Estratégico, apresentado pela última Assembleia Geral de Acionistas, já que é o plano estratégico que a empresa precisa para continuar a avançar em crescimento e rentabilidade.

 

Como habitualmente, foi realizada uma conferência de imprensa, em Madrid, para a apresentação dos resultados por Fernando Mata (CFO da MAPFRE). Pode rever em: