“No passado dia 10 de novembro, o edifício da Sede da MAPFRE | SEGUROS foi palco de um simulacro de ‘Pacote Suspeito’. Ao ser detetado um pacote suspeito no 7.º piso, foi dado o alerta à Portaria por um dos ocupantes do edifício.

As equipas de emergência verificaram as características deste pacote e, pelas manchas de gordura, cantos com prata e fios expostos confirmaram o seu caráter suspeito. Deram ordem de evacuação total do edifício, que se realizou em 5 minutos e 56 segundos. No entanto, poderia ter levado menos tempo, uma vez que foi necessário 1 minuto e 04 segundos extra para confirmar que um dos pisos tinha ficado completamente vazio. 

Nove minutos depois de ter sido dado o sinal de evacuação total do edifício, já os colaboradores estavam a regressar ao seu posto de trabalho. Estes exercícios são fundamentais para praticar o comportamento/postura a ter em caso de emergência e estes 9 minutos de treino garantem o processo de evolução contínua, uma maior segurança de todos os ocupantes do edifício e de todos os que frequentam as nossas instalações.

… enquanto os colaboradores regressavam a nossa simulação continuou…

Depois de ter sido chamada a equipa de minas e armadilhas da PSP, o pacote suspeito acabou por explodir antes da sua chegada. Efetuada a avaliação de habitabilidade do edifício, este foi considerado inoperacional por 1 dia. Foram necessários 5 dias para recuperar o piso 7, cujas obras condicionaram o acesso aos pisos 6 e 8.

Foi convocado o Comité de Crise que, após reunião, declarou situação de desastre e ativou as instalações alternativas da MAPFRE | SEGUROS em Odivelas - Póvoa de St.º Adrião. Através dos processos identificados na ‘Análise de Impacto de Negócio de 2016’ como críticos para a MAPFRE | SEGUROS, e mediante as circunstâncias, o Comité de Crise convocou as equipas de operação em caso de desastre para assegurar a operação afetada. Estas equipas estiveram no dia seguinte nas instalações alternativas para testarem o Plano de Recuperação e garantir a continuidade do negócio.

A Unidade de Segurança e Meio ambiente agradece a todos os ocupantes do edifício terem abandonado as instalações de forma natural e ordeira, de uma forma especial a todos os que participaram diretamente nos exercícios simulados e, finalmente, a todos os que identificaram melhorias e nos deram esse feedback.”
  

Hugo Lavrador | Unidade de Segurança e Meio Ambiente