A ativação de um Plano de Continuidade de Negócio é determinada pela gravidade de um incidente. Na MAPFRE existem alguns procedimentos pré-estabelecidos, a partir dos quais são avaliadas a viabilidade e necessidade de colocar o plano em andamento.

Salvaguardar a segurança dos colaboradores da MAPFRE é a 1.ª prioridade de empresa e, por isso, a partir da declaração de um incidente, a sua gravidade é submetida a avaliação pelo Comité de Crise e Continuidade de Negócio. Isso contribui diretamente para a tomada de decisões baseadas no planeamento de uma resposta organizada, a fim de:

 PROTEGER   PESSOAS APLICAR AS   MEDIDAS   NECESSÁRIAS   PARA   AMENIZAR A   CRISE

 

Em 1.º lugar é feita uma avaliação para verificar se a situação pode ser resolvida com a aplicação dos Planos de Emergência da MAPFRE.

Caso essa opção não seja suficiente, o Comité de Crise e Continuidade de Negócio da MAPFRE determinará se a ativação do Plano de Continuidade de Negócio é necessária, após a avaliação da gravidade e duração prevista para a interrupção da atividade.

Por fim, quando a operação da Entidade for reestabelecida corretamente e for confirmado que os colaboradores se encontram íntegros, decide-se desativar o Plano de Continuidade de Negócio, indicando que a MAPFRE restabeleceu a condição de normalidade.

O Plano de Continuidade de Negócio está disponível para consulta no nosso Portal Interno.

Em caso de dúvidas ou sugestões, ou para saber mais sobre o que a MAPFRE faz com relação à Continuidade do Negócio, entra em contato com a Unidade de Segurança e Meio Ambiente:

 z_UnidadeSegurancaeMeioAmbiente@mapfre.pt

Faça da segurança um hábito!