A MAPFRE, aproveitando o Dia Mundial da Reciclagem que se celebrou a 17 de maio, continua a reforçar o seu compromisso com a sustentabilidade e com a economia circular, um dos principais desafios globais da companhia. Pretende tornar-se numa empresa de referência neste modelo de produção, o que permitirá gerar oportunidades de negócio ao mesmo tempo que protege o meio ambiente e a sociedade.

O Grupo promove o consumo responsável de recursos, bem como a redução, reutilização e a reciclagem de restos, diminuindo assim o seu depósito no aterro sanitário. Realiza, adicionalmente, ações para combater o desperdício alimentar e contrata gestores com modelos de negócio que trabalham em consonância com os princípios da circularidade.

No ano passado gerou um total de 3.112 toneladas de resíduos em todo o Grupo, das quais 2.960 toneladas, isto é 95% do total, foram submetidas a processos de valorização, ou seja, de recuperação, reciclagem e produção de energia.

Entre os principais marcos do Grupo MAPFRE em 2021, destacamos:

  • a redução de consumo de 1.132 toneladas de papel, graças à assinatura eletrónica biométrica
  • a reutilização de 49% do total de resíduos de equipamentos informáticos em Espanha
  • a doação de 41.149 kg de equipamentos informáticos no Grupo
  • a reciclagem de 351 toneladas de resíduos em quatro edifícios, o que representa 92% dos resíduos que a companhia gera nas instalações da Sede, em Espanha


Milhares de peças de automóveis recicladas

A companhia tratou, também, um total de 38.819 veículos fora de uso, recuperando 156.948 peças para reutilização em diferentes mercados, graças à CESVIMAP, Centro de Experimentação e Segurança Rodoviária MAPFRE. Este centro tecnológico global é especializado na reparação e reciclagem de veículos, entre outros serviços, e é uma referência em como se desfazer dos veículos de forma sustentável, prolongando a vida das peças, facilitando a reutilização de matérias-primas (plástico e vidro), e reduzindo o consumo de energia.

O Plano da Pegada Ambiental 2030 da MAPFRE estabelece um objetivo ambicioso de valorização para os próximos anos: aproveitar 84% dos resíduos gerados pelo Grupo nos países onde opera para 2024, e de 90%, para 2030.