A agência de notação de crédito S&P's publicou a sua decisão de manter a notação de crédito à emissora MAPFRE em "A-" com uma perspetiva estável, a das suas obrigações não garantidas em "A-" e a das suas obrigações subordinadas em "BBB".

A S&P's considera o modelo de negócio da MAPFRE “muito sólido”, pois beneficia de uma “ampla diversificação geográfica e possui posições de liderança nas suas principais unidades de negócio”. Além disso, o Grupo "desenvolve com sucesso o plano estratégico definido para melhorar os lucros de negócios, como no Brasil e Estados Unidos". "O tamanho e a diversificação dos canais de distribuição, o foco no atendimento ao cliente e a troca bem-sucedida das melhores práticas dentro do Grupo apoiam as posições de liderança."

A S&P's​ destaca três pontos fortes do Grupo:

  1. Marca internacional bem reconhecida com posições de liderança em Espanha e na América Latina;
  2. Implementação efetiva das medidas de transformação que a empresa está a executar para melhorar a rentabilidade, diversificação e competitividade do Grupo;
  3. Alta solidez de capital em relação aos requisitos do Solvência II com volatilidade limitada.

Entre os riscos que a S&P's observa para o negócio da MAPFRE, menciona a capacidade de distribuição do negócio de em Espanha nos seguros de Vida como consequência da perda de contratos de bancassurance, sensibilidade moderada às flutuações cambiais, principalmente das operações em mercados emergentes, e incertezas geopolíticas e pandémicas na América Latina, principalmente no Brasil.

Posição "excepcional" de liquidez 

O perfil financeiro da MAPFRE merece igualmente uma classificação "forte" por parte da S&P's, por considerar os níveis de liquidez "excecionais, dada a elevada percentagem de ativos facilmente realizáveis e fortes fluxos de caixa operacionais".

"Esperamos que fortes lucros continuem a apoiar os níveis de capital do Grupo, enquanto financiamos o crescimento orgânico e inorgânico e o pagamento de dividendos esperados de pelo menos 50% do lucro líquido." 

A perspetiva da agência baseia-se na expectativa de que os lucros do Grupo MAPFRE "aumentem em 2021 para mais de 1.000 milhões de euros, incluindo os sócios minoritários, e para mais de 1.200 milhões de euros em 2022".

 

Arquivado em: