• Os prémios do Grupo crescem 12,1% até os 18.644 milhões de euros
  • Os prémios de negócio ressegurador aumentaram 14,4% e o lucro mais de 10%
  • O negócio segurador cresceu em praticamente todos os países em que a MAPFRE está presente
  • Ibéria, Brasil e Latam Sul são as regiões que proporcionaram mais lucro ao Grupo

Os prémios da MAPFRE, entre janeiro e setembro deste ano, aumentaram para 18.644 milhões de euros, o que significa um aumento de 12,1% com crescimento em praticamente todos os países em que o Grupo opera e nos principais ramos de negócio. A evolução dos prémios (sem os efeitos do prémio bienal do México, a saída do Bankia, e o impulso das divisas) proporcionaram 5,5 pontos percentuais ao crescimento.

O lucro líquido do Grupo foi de 488 milhões de euros (-6,9%). Por ramos, destaca-se o bom resultado dos segmentos de Seguros Gerais e Vida Risco, com uma sinistralidade por COVID-19 que perde relevância em todos os países. Por regiões, é de realçar a contribuição da Ibéria, com quase 300 milhões de euros, e o bom resultado da América Latina em que se destacam o Brasil e o Peru.

A MAPFRE RE continua com uma importante contribuição nas suas duas unidades, Resseguro e Global Risks, alcançando quase 94 milhões de lucro, apesar dos sinistros catastróficos registados neste exercício.

CUADRO 1 PORTUGUES 1200x672
O título e as rúbricas dos quadros estão em Português do Brasil

Os investimentos da MAPFRE alcançaram os 41.726 milhões de euros, sendo que metade deles corresponde à renda fixa soberana.

CUADRO 2 PORTUGUES
O título e as rúbricas dos quadros estão em Português do Brasil.

 

O CFO da MAPFRE, Fernando Mata, deixou uma mensagem importante relacionada com a solidez financeira do Grupo: 

 


A apresentação dos resultados foi feita, como habitualmente, numa conferência de imprensa: