As contas aos 9 primeiros meses do ano estão feitas e o Grupo MAPFRE registou um lucro líquido de 450,4 milhões de euros, que representa um decréscimo de 2,7% face ao mesmo período em 2019. Na Área Regional Ibéria, Portugal teve um crescimento de 2%, Espanha continua como a maior fonte de lucro destacando-se ainda:

 

  • Crescimento do lucro do negócio de seguros em mais de 7%;
  • Portugal com um total de 102 milhões de euros em prémios e Espanha com um resultado de 328 milhões de euros;
  • O bom resultado da atividade seguradoras nos principais mercados do Grupo: Estados Unidos (+50%), México (+31%) e Brasil (+15%);
  • A receita do Grupo que supera os 19.050 milhões de euros (-11,9%), e os prémios chegam a 15.550 milhões de euros (-11,9%), consequência da crise económica mundial decorrente da COVID-19;
  • O rácio combinado com um aumento de mais de um ponto percentual fixando-se em 95,2%;
  • A taxa de solvência que se fixou em 184% no mês junho.

 

Efeito COVID-19

A pandemia e o confinamento da população na maior parte dos países em que o Grupo MAPFRE se encontra presente teve, naturalmente, um efeito direto naquilo que são as contas dos primeiros 9 meses do ano. Os efeitos da crise que vivemos nas variáveis seguradoras são muito variados e complexos, mas, de um modo resumido, os mais relevantes são:

  • Queda no volume de negócio, devido à menor atividade económico, depreciação do valor das moedas e falta de incentivo em produtos do Ramo Vida;
  • Melhoria na margem do negócio de Não Vida, com quedas na sinistralidade automóvel, que compensam o aumento nos ramos com sinistros causados pela COVID-19;
  • Manutenção de gastos, com reduções de custos operacionais e adiamentos de iniciativas de transformação que compensam gastos diretos causados pela COVID-19;
  • Diminuição nas receitas financeiras, tanto de renda fixa como de renda variável.

 

Relembramos que a MAPFRE implementou neste período uma estratégia específica baseada em três princípios de proteçãogarantir a saúde e bem-estar dos colaboradores e todos os que se encontram diretamente envolvido com o Grupo, consolidar o compromisso com os clientes e acionistas e garantir a continuidade do modelo de negócio baseado na solvência e força do capital.


Os resultados do Grupo

As receitas da MAPFRE entre janeiro de setembro de 2020 correspondem a 19.051 milhões de euros, o que representa menos 11.9% face ao período homólogo. Os prémios caíram na mesma proporção (-11,9%), registando 11.550 milhões de euros.

O lucro foi de 450 milhões de euros, o que representa uma queda de 2,7% em relação aos nove primeiros meses de 2019. Além dos impactos mencionados anteriormente, destacam-se ainda duas catástrofes naturais: os terramotos de Porto Rico em 2020 e o tufão em 2019.

 

Área Regional Ibéria

Os prémios desta área correspondem a 5.313 milhões de euros, 11% menos que o mesmo período do ano passado. O lucro foi de 334 milhões de euros (-4%), o que faz com que esta área seja a que mais participa do resultado consolidado do Grupo. É importante, ainda, destacar a boa evolução do rácio combinado, que se situa nos 92,5%.

Portugal registou um aumento dos prémios em 2% face ao período homólogo, que correspondem a um total de 102 milhões de euros. Por sua vez, Espanha contabilizou prémios no valor de 5.211 milhões de euros, 11% menos que nos nove primeiros meses de 2019.

 

Globalmente estes foram os principais dados consolidados:

1  2 3

 A apresentação e todo o detalhe dos resultados estão disponíveis aqui.