As caixas negras sempre foram associadas a certos meios de transportes, tais como aviões ou autocarros. Contudo, a partir de julho de 2022, será obrigatório os automóveis incluírem este tipo de dispositivo.

A inclusão obrigatória de caixas negras nos automóveis faz parte do plano Vision Zero da União Europeia, que ainda prevê a instalação de outros sistemas de segurança ativa e passiva nos veículos. Este programa visa reduzir o número de mortes na estrada em cerca de 25.000 pessoas, durante os próximos 15 anos.

Assim, a partir de julho de 2022, todos os novos automóveis de passageiros devem estar equipados com estes dispositivos para recolher as informações da viagem como medida preventiva. Além disso, todos os novos modelos terão de ser instalados como padrão a partir de 2024.

Como funcionam as caixas negras no automóveis?
De acordo com a Direção Geral de Trânsito e Espanha (DGT), as caixas negras nos veículos são um sistema que regista todos os dados da viagem para que possam ser utilizados em caso de acidente. Com o objetivo de esclarecer as causas dos acidentes, estes dispositivos recolhem informações sobre o que acontece durante os 30 segundos antes e os 5 segundos após o incidente.

Desta forma, será possível conhecer a velocidade exata a que seguia o veículo, a localização, os movimentos, o estado e o funcionamento dos sistemas de segurança, o número de impactos, a aceleração e a travagem. As pessoas encarregadas pela investigação de um acidente ligam o dispositivo a um computador e têm acesso imediato a todos estes dados.

É importante salientar que as caixas negras não gravam som ou imagens para garantir a privacidade dos passageiros. Além disso, os dados são registados de forma anónima e são automaticamente apagados quando novos dados são inseridos.

Como devem ser instaladas?
As caixas negras nos carros são um dispositivo muito semelhante ao utilizado nos aviões.

black box 1

Este dispositivo deve ser instalado debaixo do banco do condutor e perfeitamente aparafusado ao chassis.

O tamanho é semelhante ao de uma bateria portátil e é feito de aço para resistir a impactos mais violentos. No interior encontra-se um sistema de cablagem que está ligado à rede de dados do compartimento de passageiros, bem como aos airbags. Existe também um processador, vários amplificadores e uma memória onde são registados os dados da viagem.

Sistemas complementares
A instalação obrigatória de caixas negras não é a única novidade. Desde 01 de janeiro de 2021, os novos modelos devem incluir um dispositivo para controlar o consumo real de combustível. Este sistema tem que estar presente tanto em carros de combustão convencionais, como em versões elétricas ou híbridas.

Com base numa margem de erro de apenas 5%, uma caixa negra armazena todos os dados desde o momento do fabrico até ser desativado. Desta forma, a informação pode ser recuperada em qualquer altura e é possível verificar se os fabricantes fizeram alguma modificação para alcançar um nível de emissões mais baixo.

Prevê-se também que nos próximos anos sejam obrigatórios vários sistemas de segurança ativa e passiva nos automóveis. Este é o caso, por exemplo, do limitador de velocidade, do assistente de manutenção de faixa de rodagem ou da travagem de emergência.

Todas estas medidas são, sem dúvida, uma grande ajuda para reduzir o número e a gravidade dos acidentes rodoviários.
 


Fonte: https://www.motor.mapfre.es/coches/noticias-coches/cajas-negras-coches-en-2022/